11 julho 2012

Avó



Quando era criança, lembro-me que a minha avó (paterna) era bastante mázinha para mim, olhava para ela e vi-a uma bruxa má mesmo.

Somos crianças mas mesmo assim conseguimos perceber muitas coisas e eu sempre percebi que a minha vó nunca gostou de mim (não sei porquê, nunca percebi, não interessa). Ela tinha os netos preferidos, mas eu nem era não ser preferida, ela tinha um stress qualquer comigo, ponto.

Lembro-me que levei ainda algumas tareias porque ela assim ajudava. "Regava" sempre um bocadinho o meu mau comportamento e a minha mãe, toma lá aqui vai disto umas lambadas para a próxima aprenderes (eu era a criança mais tótó do mundo devo dizer).

Um dia ela teve uma trombose e ficou acamada. Foi preciso ajuda de tudo e de todos e eu também fui lá aqui e ali dar-lhe de comer, ajudar a dar banho, enfim...
Confesso que nunca gostei dela, mas isso transformou-se em pena depois e enfim, nunca se nega ajuda a ninguém.

Um dia, sem mais nem menos, já quando mal falava, e mal se mexia e mal tudo, apertou-me a mão com força e olhou para mim de uma forma que nunca hei-de esquecer.

Passaram anos e um dos meus tios tomou conta dela entretanto. Ontem ligaram-me que ela estava em fase terminal no hospital. Fui lá tarde da noite e esgueirei-me pelo hospital e lá consegui chegar até ela.

Não tinha nada de bruxa má, não tinha nada de... nada, era só uma velhinha irreconhecivel e num fim quase muito triste. Dizem que já não conhece ninguém, não fala, é alimentada por tubos, não se mexe. Ontem, olhou para mim e abriu muito os olhos, tentou articular uma palavra mas só saiu um grunhido quase. Era eu que estava lá, não era nenhum dos netos preferidos, não era ninguém, era eu!

Sei que não vai durar muito tempo, mas ontem percebi o que já há muito sabia. Não adianta ser má, ou ter rancor, ou ser uma bruxa ou seja lá o que for, um dia acabamos todos assim, uns sozinhos outros não.

Disse-lhe muito baixinho " Eu gosto de ti, não te preocupes, podes ir em paz!".

Só ontem percebi que gosto dela...

1 comentário:

  1. A tua história verdadeira, é bem parecida com a minha, mas ainda bem que lhe sussurras-te o que sentias, assim pode ir em paz, e tu tens um lindo coração que ninguém te pode arrancar, ele fica bem no sitio que está :)
    Beijinhos no coração

    ResponderEliminar